sexta-feira, 9 de julho de 2010

O gostinho de gostar.

Gosto de ser feliz, e para ser feliz tem que se gostar. Gosto de gente bonita. Interiormente! Gosto do abraço apertado, do sorriso singelo, do beijo demorado, da pessoa transparente, de gente que gosta de gente. Gosto do desarrumado, do amigo confiável, da companhia inseparável. Nem o início, nem o fim. Gosto do durante. Nada de mudanças, meu negócio é a permanência. A lágrima sincera, o conselho sutil, a palavra de conforto, o doce mais gostoso. A indireta-direta. Aquele olhar que substitui mil palavras. O certo-errado. O avesso. O contrário. Gosto das coisas simples, e o lado simples de todas as coisas. Gosto de ser. Crescer. Existir. Fazer! Gosto dos "enfim's" e dos "pois bem's". Gosto do aprender. Do apreender. Surpreender. Compreender. Gosto do dificil. O hostil. O desafiador. Gosto de orar. De em Deus acreditar, à Ele recorrer e com Ele conversar. Gosto do vilão dos quadrinhos. Do coadjuvante e não do protagonista. Talvez, quem sabe, o antagonista. Do suporte, e não da liderança. Gosto do Tom e não do Jerry. Gosto do engraçado e, não raro, daquilo que por si só nos arranca um sorriso. Gosto dos gostares, e gostando vou levando a vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que achou do texto? Seja sincero =]